Siga-nos

A Soberania de Deus Nem Sempre é Reconhecida

Segundo Jerry Bridges um dos nossos problemas com a soberania divina é que muitas vezes Deus não parece estar no controle das circunstâncias da nossa vida.

Vemos pessoas injustas ou indiferentes, e mesmo abertamente más, fazendo coisas que nos afetam de maneira desfavorável.

Experimentamos as consequências das falhas e dos erros alheios. Nós mesmos chegamos a fazer coisas tolas e pecaminosas, e sofremos com o fruto muitas vezes amargo dos nossos atos.

Mas é a capacidade divina de dispor de tal forma vários atos humanos para cumprir seu propósito que torna sua soberania maravilhosa e, no entanto, misteriosa.

O Poder de Deus Revelado em Sua Soberania

Temos pouca dificuldade para crer que Deus pode operar e tem operado milagres, os quais são exemplos de sua soberania, mas também de sua intervenção direta nos assuntos das pessoas.

Sem levar em consideração nossa posição teológica no que diz respeito à ocorrência de milagres hoje, a maioria de nós aceita sem questionar a validade dos milagres registrados nas Escrituras.

Mas crer na soberania de Deus quando não vemos sua intervenção direta quando ele, por assim dizer, opera só nos bastidores por intermédio de circunstâncias ordinárias.

E atos comuns das pessoas – é ainda mais importante, pois essa é, em geral, a maneira pela qual Deus trabalha.

Um Pouco da História Sobre a Soberania de Deus

Um escritor do século 19, Alexander Carson, em seu livro Confidence in God in times of danger [Confiança em Deus em tempos de perigo], diz:

“Pois a sabedoria do homem não consegue enxergar como a providência de Deus é capaz de dispor as ações humanas de modo que cumpram seu propósito sem nenhum milagre”.

Nenhum de nós sabe quantas vezes temos sido poupados, sem saber, da adversidade ou da tragédia pela mão invisível e soberana de Deus; talvez tenha sido algumas centenas de vezes.

Como disse o salmista:

“Ele não permitirá que teus pés vacilem; aquele que te guarda não se descuida. È certo de que o guarda de Israel não se descuidará nem dormira” (S1 121.3,4).

Philip Hughes escreve: “Subordinadas a Deus, no entanto, todas as coisas, sem exceção, são completamente controladas – apesar de todas as aparências do contrário”, Nada é grande ou pequeno demais para escapar à mão governante de Deus.

A aranha que constrói sua teia no canto da parede e Napoleão fazendo marchar seu exército através da Europa estão, ambos, debaixo do controle de Deus.

Considerações Finais Sobre a Soberania de Deus

Como o governo de Deus é invencível, assim também é incompreensível. Permanece misterioso. Seus caminhos são mais altos do que os nossos (veja Is 55.9).

Seus juízos são insondáveis, e seus caminhos, inescrutáveis (veja Rm11.33). A soberania de Deus costuma ser questionada porque o homem não entende o que Deus está fazendo.

E, por ele não agir como achamos que deveria, concluímos que Deus não pode agir para o nosso bem maior. Leia nosso próximo artigo e seja abençoado!

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *