Siga-nos

A Clareza das Escrituras

A Bíblia é escrita de maneira que possa ser compreendida pelo povo de Deus. A doutrina da clareza (ou perspicuidade) da Escritura enfoca a sua inteligibilidade. Para entender a Escritura é necessária a comum capacidade adquirida de ler ou compreender a comunicação oral. A compreensão da Escritura não depende de gênero, idade, experiência, educação ou contexto cultural.

A própria Escritura se caracteriza pelo pressuposto de inteligibilidade contínua. A clareza da Escritura anda de mãos dadas com a iluminação do Espírito Santo. Um erro muito comum é pensar que clareza significa que a Bíblia é fácil de entender. Essa doutrina é assegurada no contexto da igreja. A clareza da Escritura exige uma aplicação concreta de tudo o que é entendido apropriadamente. Até mesmo os incrédulos podem alcançar um entendimento geral da Escritura.

ENTENDENDO A DOUTRINA DA ESCRITURA

“As coisas secretas pertencem ao SENHOR, NOSSO DEUS, MAS AS REVELADAS PERTENCEM A NÓS E A NOSSOS FILHOS PARA SEMPRE” (Dt 29.29).

Embora haja
muita coisa a respeito de Deus e seus caminhos — “as coisas secretas” — que seu povo não consegue compreender, “as reveladas”, que incluem a Escritura, são acessíveis e inteligíveis para nós.

Pré Requisitos Para Entender a Escritura

O único pré-requisito para a compreensão das Escrituras é a capacidade normalmente adquirida de ler (quando existe uma Bíblia disponível para pessoas alfabetizadas).

Ou de entender a comunicação oral (quando a Escritura é lida em voz alta ou transmitida por áudio). Isso significa que entender as Escrituras não depende de gênero: homens e mulheres podem entendê-la.

Não depende da idade: pessoas jovens, de meia-idade e idosas conseguem compreendê-la. Não depende da experiência: novos cristãos e crentes experientes podem entendê-la.

Compreender a Bíblia não depende de grau de instrução: tanto quem nunca foi à escola quanto os eruditos conseguem compreendê-la.

Não depende do contexto cultural: diferentes etnias, raças e grupos linguísticos são capazes de compreendê-la.

A própria Escritura é caracterizada pelo pressuposto de sua contínua inteligibilidade

Ela pressupõe que as pessoas serão capazes de entendê-la, mesmo que estejam em contextos muito distantes das configurações originais nas quais ela foi escrita.

É importante ressaltar esse ponto quando pessoas afirmam que, por ser um livro muito antigo, a Bíblia não pode ser compreendida hoje.

Os leitores contemporâneos, segundo esse argumento, estão a anos-luz de distância dos tempos e das experiências das pessoas retratadas nas Escrituras.

Como é possível que o homem de hoje entenda um livro desatualizado?

Como acabei de dizer, esse livro supostamente “atrasado”, ultrapassado, tem a perspectiva positiva de que as pessoas sejam capazes de compreendê- lo em circunstâncias drasticamente diferentes das que existiam quando ele foi escrito.

Em parte, essa confiança se deve ao fato de que as Escrituras abordam realidades comuns a todas as pessoas, em todas as épocas e em todos os lugares.

Além disso, a clareza da Escritura está ligada à iluminação do Espírito Santo, que é o ministério por meio do qual ele ajuda os cristãos na compreensão adequada da Escritura, que em si mesmo já é clara.

Como Entender a Escritura Com Clareza

A clareza das Escrituras não deve ser confundida com a ideia de que ela é “fácil de entender”.

Embora algumas passagens sejam óbvias, nem todas são. Os leitores e ouvintes da Escritura estão bem conscientes da diferença de inteligibilidade entre “Deus amou tanto o mundo que deu o seu Filho unigênito” (Jo 3.16).

E a discussão sobre a pregação de Jesus “aos espíritos em prisão […] que nos tempos antigos não obedeceram […] enquanto a arca era preparada” (1Pe 3.18-20). Clareza não se traduz em facilidade de compreensão.

O próprio Deus ajuda nessa tarefa: essa doutrina é afirmada no contexto da igreja, em que Deus instalou um ofício de ensino (1Tm 5.17).

Pastores e mestres têm a responsabilidade de ajudar os membros da igreja a compreender e a aplicar melhor a Escritura.

Esses líderes podem mapear o fluxo de uma narrativa, observar a progressão de um argumento, esclarecer conceitos teológicos e prestar outros tipos de auxílio. Além disso, suas vidas também fornecem modelos de como aplicar as Escrituras.

Detalhes Importantes Sobre a Clareza das Escrituras

A respeito desse último ponto, a clareza da Escritura exige que o que é corretamente entendido seja aplicado concretamente.

Dependendo do texto da Escritura, essa aplicação apropriada pode ser obediência aos seus mandamentos, confiança em suas promessas, confissão de pecado e coisas semelhantes.

A clara Escritura prende o coração de seus leitores e exige uma resposta pessoal.
A clareza da Escritura também é benéfica para os incrédulos.

Com certeza, os que estão sendo auxiliados pelo Espírito Santo enquanto se encaminham para a salvação ganham entendimento do evangelho.

O que antes lhes parecia tolice passa a fazer sentido. Em geral, mesmo os incrédulos conseguem entender alguma coisa da clara Escritura.

Mesmo que acabem rejeitando a verdade da qual já têm algum entendimento, eles têm conhecimento intelectual desses assuntos.

Principais erros sobre esta doutrina

1. Negar que os leitores contemporâneos possam entender a Bíblia porque é um livro ultrapassado que apresenta uma visão de mundo antiquada.

Essa perspectiva ignora o próprio pressuposto de inteligibilidade contínua da Escritura e o fato de que a peculiaridade da Escritura abordar realidades comuns a todas as pessoas, em todas as épocas e em todos os lugares.

2. Entregar a responsabilidade de interpretar as Escrituras a uma determinada casta de pessoas — o clero católico, os pastores protestantes, os estudiosos da Bíblia e outros.

Essa posição negligencia a responsabilidade de todos os membros da igreja quanto a alimentar-se da Palavra de Deus (1Pe 2.1-3) e usá-la para ensinar a todos (Cl 3.16).

3. Preguiça ou desânimo em aplicar-se pessoalmente à leitura da Bíblia. Essa disciplina espiritual já quase desapareceu.

Além disso, quando as pessoas chegam a partes difíceis das Escrituras, elas não percebem o trabalho árduo que é necessário para compreender aquela passagem ou se sentem mal preparadas para fazer um estudo aprofundado.

Com isso, ficam desanimadas e desistem. Pessoas que pensam assim não pedem ajuda de pastores e professores da igreja.

Para que você possa se aprofundar e continuar seus estudos, leia o nosso próximo artigo, para você ter uma visão mais acurada do assunto indico o livro “50 Verdades centrais da fé Cristã” de Gregg R. Allison que deu origem a este artigo. Deus abençoe, até o próximo texto.

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *